The Cloud Consulting Company: O futuro está na Nuvem

Corporativo

Em apenas 4 anos, uma política sem nuvem será o equivalente a ignorar a Internet hoje em dia

Ignorar a nuvem como uma extensão da nossa própria empresa significa abrir mão da inovação que pode aumentar a produtividade e economia de custos. Recentes comunicados de Gartner sobre a importância da nuvem nos negócios nos defendem em nossa filosofia como primeiros consultores especializados em cloud computing.

Há poucos dias Gartner publicou um comunicado com o qual, desde a Intelligence Partner não poderíamos estar mais de acordo. Começa dizendo que, para o ano 2020, uma política corporativa “não-nuvem” será tão excepcional como uma política de “não-internet” hoje. Mas excepcional entendido como estranho, raro, incomum…

A verdade é que ignorar internet hoje é uma verdadeira ousadia. É quase impossível não ter e-mail, não dispor de alguma funcionalidade tão básica como o acesso à internet a partir do celular ou dispor de presença web. Pelo menos uma referência mínima para que saibam de nossa existência ou nos encontrem. Em muitos casos (e cada vez mais) não existir na internet é quase equivalente a não existir na realidade. O que foi das páginas amarelas que recebíamos anualmente em nossas casas, por exemplo? Publicar, publicam, mas já não têm a relevância que um dia tiveram para todos nós.

Para não mencionar de prescindir de outros serviços na Internet como pode ser um comércio eletrônico, atividades em redes sociais ou benefícios que muitos já conhecemos como WhatsApp de mensagens instantâneas ou chamadas pela Internet, videoconferências pelo Google Hangouts… não só pelos custos mais baixos (muitos gratuitos), mas pelo valor adicional de podermos ver uns aos outros para ter uma conversa ou compartilhar nossa tela com um ou vários parceiros.

Enfim, quando hoje nos tiram a internet nos deixam com o coração pesado porque nos sentimos realmente isolados.

Voltando às reflexões do Gartner, a política de cloud-first ou até mesmo cloud-only estão substituindo as posições defensivas de não-cloud que dominou a estratégia de muitos fornecedores nos últimos tempos. Na verdade, hoje a maioria da inovação tecnológica é focado na nuvem e nem sempre se aplica a cenários on-premise.

A nuvem está sendo considerado como a opção padrão para muitos desenvolvimentos de software comercial e o mesmo está acontecendo com o software personalizado, cada vez mais frequentemente, está sendo projetado para suportar alguma variante de nuvem pública ou privada.

No entanto, Gartner não diz que tudo vai ser nuvem, mas a posição extrema de não ter nada na nuvem está fadado a desaparecer. Na verdade, o cenário híbrido será o mais utilizado na nuvem, mas exige que a nuvem pública faça parte da estratégia global das empresas. Assim, os fornecedores de tecnologia serão cada vez mais capazes de assumir que seus clientes estão dispostos a consumir serviços em nuvem.

Outras previsões interessantes de Gartner indicam que em 2019 mais de 30% dos investimentos dos maiores fabricantes de software passarão da estratégia cloud-first para cloud-only e, portanto, muitos recursos só estarão disponíveis neste modelo. Também prevêem que, até 2020 será vendido mais potência de computação em modelos IaaS e PaaS (infraestrutura como serviço e Plataforma como serviço) em implementações orientadas para centros de dados empresariais. Na verdade, o mercado de IaaS tem crescido a um ritmo de 40% ao ano desde 2011 e espera-se que continue em proporções de pelo menos 25% até 2019.

Na Intelligence Partner estamos convencidos do potencial da nuvem para empresas e é a razão pela qual as soluções de nuvem são, definitivamente, o núcleo de nossas ofertas de serviços aos nossos clientes: produtividade, colaboração, CRM, geolocalização, Gestão de força de trabalhadores móveis, Gestão de despesas de empregado… The Cloud Consulting Company é o nosso lema, que é incorporado em nossos projetos de desenvolvimento e integração na nuvem para que os nossos clientes obtenham o máximo proveito.

Gostaria de ter mais informações